8 de outubro de 2013

EDUARDO CAMPOS SE PRONUNCIA SOBRE A FILIAÇÃO DE MARINA SILVA AO PSB


Não é segredo para ninguém que a filiação de Marina Silva ao PSB, oficializada neste sábado, vai muito além de uma aliança eleitoral. Trata-se do início de uma nova realidade política para o Brasil, e é com este pensamento que a imprensa noticiou. Em uma matéria sobre a repercussão do fato, a Folha de S.Paulo ressaltou que minha trajetória e a de Marina já se cruzaram anteriormente, quando fomos ministros na primeira administração do ex-presidente Lula. A reportagem também informa que a aliança entre PSB e Rede ocorreu de forma tranquila, mesmo acontecendo nos últimos momentos do prazo de filiações. O Estadão também apresentou uma análise da notícia, pregando que a filiação de Marina ao nosso partido é um daqueles fatos que “reintroduzem o imperativo da política sobre a resignação e o marketing”, e que visa interromper a polarização que já se desgastou na política brasileira. A Veja avaliou pela ótica da interrupção de uma dualidade política, além de elogiar o momento vivido tanto por mim quanto por Marina, especialmente após as eleições de 2010: “ele foi reeleito governador com expressivos 82% dos votos (...), e Marina saiu das urnas com 19,33% dos votos válidos para a Presidência”. Já a Carta Capital reproduziu uma declaração de Marina que julgo uma das mais importantes dos últimos dias, e que expressa de forma exata os motivos de nossa aliança: “Não estamos pensando em um projeto de poder ou num projeto político resumido às eleições, mas sim uma agenda estratégica para o Brasil, um compromisso de uma governabilidade programática”. Em outro trecho, a reportagem destaca a coragem de Marina, segundo ela, em não aceitar o caminho mais fácil e previsível oferecido a ela por outros partidos. Já o jornal carioca O Globo destacou algo que estamos frisando: a aliança entre PSB e Rede está aberta para diálogo com outras lideranças políticas, coroando a matéria com uma declaração minha, da qual muito me orgulho e que define bem o modo como enxergo o momento que vivemos: “O Brasil merece uma opção que resgate a esperança”. Esta minha declaração abraça justamente uma frase de Marina reproduzida pelo pernambucano Jornal do Comercio  De acordo com ela, seus motivos para a aliança envolvem apresentar um “programa para a sociedade brasileira que seja capaz de alinhamento histórico e sepultar de vez a velha república”. Um novo Brasil está nascendo. Está nos jornais e revistas. Mas está, principalmente, no coração de cada um de nós.

Governador de Pernambuco Eduardo Campos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nunca diga para os outros, aquilo que não gostaria de ouvir