23 de dezembro de 2015

Professores contratados pelo PST temem calote do governo do Estado

Professores chegaram a protestar em agosto deste ano
Os professores que foram contratados para dar aulas nas escolas Estaduais pelo PST – Prestação de Serviço Temporário temem que o governo do Estado da Bahia não pague seus salários.
Desde o início do ano os professores vêm enfrentando um dilema: alguns recebem com atrasos e grande parte está sem receber os vencimentos desde o mês de março, quando as aulas começaram.
Além do atraso de pagamento, outro ponto que revolta os profissionais contratados é o valor da hora aula, fixado em apenas R$ 9,80. Até o ano passado os professores recebiam por 20 horas/aula o equivalente a pouco mais de mil reais. Hoje, com a redução do valor da hora/aula tem professores contratados com salários de R$ 570, outros por R$ 670 mensais.
“Nosso primeiro pagamento ocorreu em julho deste ano, após travarmos uma verdadeira luta contra a NRE 19 (Núcleo Regional de Educação) em Feira de Santana (antiga DIREC 02). Após a nossa manifestação começaram a pagar salários para alguns professores. Estamos agora faltando receber os meses de outubro, novembro e dezembro e o que ouvimos é que não há previsão de pagamento”, revelou uma professora contratada que preferiu não se identificar. “Tem colegas que nunca receberam salário”, completou.
Tentamos contato com a Secretaria de Educação do Estado, porém até o fechamento desta matéria não obtivemos resposta.

 Correio da Cidade

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nunca diga para os outros, aquilo que não gostaria de ouvir