25 de fevereiro de 2016

Além da microcefalia, estudo sugere que Zika pode estar ligado a Hidropsia Fetal


Além da microcefalia, estudo sugere que Zika pode estar ligado a Hidropsia Fetal
Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas
O vírus da Zika pode estar relacionado à hidropsia fetal, de acordo com um artigo publicado nesta quinta-feira (25) na revista "PLOS Neglected Tropical Diseases", e fruto de parceria entre pesquisadores brasileiros e americanos da Universidades de Yale, Texas, Federal da Bahia e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e do Hospital Geral Roberto Santos (HGRS), em Salvador. A condição verificada quando há acúmulo de fluido em duas ou mais partes do corpo do bebê foi verificada em um natimorto no HGRS. O feto, que também tinha microcefalia e serviu como base para o estudo, tinha líquido no pulmão, tórax, abdômen e sob a pele. "O bebê tinha características que sugeriam infecção por Zika, mas a gestante negou ter tido sintomas. É um quadro totalmente atípico", explica Manoel Sarno, especialista em medicina fetal, professor da Universidade Federal da Bahia (Ufba) e um dos autores do estudo, ao site Bem Estar.  Em janeiro deste ano, os pesquisadores encontraram vírus com características similares às do Zika nos tecidos fetais da criança. Contudo, os autores do estudo ressaltam que trata-se de  um caso, até o momento, isolado.
Bahianotícias


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nunca diga para os outros, aquilo que não gostaria de ouvir