18 de maio de 2018

Suspensão de agentes: AACES contesta versão da prefeitura

A Associação dos Agentes Comunitários e de Endemias de Salvador (AACES) repudia veementemente a notícia veiculada no site do Bahianotícias sobre a suspensão de quatro agentes de combate às endemias (ACEs) por suposto procedimento desidioso . A AACES acompanhou  o processo movido pela prefeitura contra esses trabalhadores e constatou que a violenta foi um dos principais fatores que criou sérias dificuldades para os agentes exercerem sua função.

Os servidores que sofreram a suspensão desenvolvem suas atividades no Distrito Sanitário São Caetano/Valéria, um dos mais perigosos de Salvador, inclusive, onde, há sete anos, dois ACES foram assassinados. Portanto, trata-se de um problema grave que atinge seriamente a saúde psicológica dos agentes de saúde que ali trabalham, comprometendo suas atividades.

A Prefeitura de Salvador não levou isso em consideração e, sumariamente, aplicou a suspensão aos trabalhadores. Um fato nos intrigou: Há tantas sanções de processo administrativo acontecendo na prefeitura, mas não são divulgadas nos meios de comunicação. Por que esse episódio ganhou essa notoriedade no site do Bahianotícias? Discriminação com os agentes de saúde? São interrogações que ficam no ar.

Esse servidores  amargam condições nada adequadas  de trabalho, bem como um vencimento  inicial de R$831,34, abaixo do salário mínimo, portanto. Ainda têm que suportar uma sanção de processo administrativo que não leva em consideração a realidade de violência vivida diariamente pelos agentes de saúde. Isso é demais!

A AACES reitera o repúdio feito à notícia veiculada e se solidariza aos companheiros que foram suspensos, colocando-se à disposição deles.


Um comentário:

Nunca diga para os outros, aquilo que não gostaria de ouvir