4 de agosto de 2017

Cremeb e Sindimed protestam e denunciam situação do SUS na Bahia

O Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia (Cremeb) e o Sindicato dos Médicos do Estado da Bahia (Sindimed) se reuniram, na tarde desta quinta-feira (3), em Salvador, para oficializar o movimento Fora Barros, um protesto da classe médica contra o ministro da saúde. O ato começou na Praça Eliana Kertész, em Ondina, onde os manifestantes colocaram um caixão com a foto de Ricardo Barros, e seguiu até a sede do Cremeb, na Barra.
Ao BNews, Tereza Cristina Maltez, presidente do Conselho, afirmou que a manifestação da classe é contra a postura do ministro, que tenta transferir para os profissionais de saúde a culpa do caos que vive a saúde pública no País. A presidente disse que as unidades estão despreparadas, com equipes incompletas e com falta de pagamento.
O corregedor do Cremeb, José Abelardo Meneses, explicou que a intenção do Conselho é chamar a atenção da população para os fatos que continuam ocorrendo com o Sistema único de Saúde (SUS). "É o único sistema no mundo que é universal e que não tem médicos concursados, que não contratam regularmente os médicos e demais profissionais de saúde. São todos contratos precarizados e, ao lado disso, nós temos um ministro totalmente despreparado, insensível, que não conhece as regras do SUS, não conhece nada de saúde e está jogando  a responsabilidade do mal funcionamento dos SUS nas costas dos médicos", explicou.
O ato é nacional e reúne os Conselhos e Sindicatos dos médicos de vários Estados, que cobram a exoneração do ministro Ricardo Barros e uma solução para os problemas da saúde pública. Francisco Magalhães, presidente do Sindimed, afirmou que o ministro tem cada dia mais precarizando o SUS, transformando um atendimento de primeira necessidade em secundária. "Agora mesmo ele desativou um programa importante que é a Farmácia Popular, fora os outros aspectos, ele comemorou a redução do valor que era empregado no SUS. Todos os ministros, sem exceção, de todos os governos, cobravam ampliação da verba para o SUS. O ministro entra com um único objetivo: reduzir o valor que é gasto com saúde", afirmou.
O vereador César Leite também participou do protesto e afirmou que a classe precisa de uma pessoa que tenha atenção com a saúde, que saiba fazer gestão e que queira atender as pessoas de forma respeitosa e digna, que possa levar atendimento à população.


Fonte: Bocão News

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nunca diga para os outros, aquilo que não gostaria de ouvir