21 de dezembro de 2016

Centrais sindicais rejeitam flexibilização da jornada e Temer recua

Rovena Rosa/Agência Brasil

A oficialização da jornada móvel de trabalho proposta por Michel Temer não resistiu ao repúdio das centrais de trabalhadores, que tem sido o ponto fraco do governo; reprovação da proposta pelas entidades pesou para que ficasse para 2017 esse debate; jornada intermitente (sem horário fixo) é vista pelos trabalhadores como parte do pacote de precarização das relações de trabalho que ganharam força com Temer na presidência.

BRASIL 247

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nunca diga para os outros, aquilo que não gostaria de ouvir